Conteúdo

Versão em espanhol


Redes Sociais

Sinais de câncer


O câncer em sua fase inicial, não apresenta sinais nem sintomas, no entanto, se torna visível quando a massa celular cresce ou produz uma úlcera. Poucos sintomas são específicos, e muitos deles também são frequentes em pessoas que têm outras enfermidades.

Devido a isso, não é raro que as pessoas com câncer sejam às vezes diagnosticadas e tratadas como portadores de outras enfermidades.

Dependendo do tipo e da localização do câncer, os sinais e sintomas podem ser distintos.

Sintomas Locais


Os sintomas locais do câncer são incialmente percebidos quando a massa tumoral vai crescendo ou produz ulcerações. Por exemplo, os efeitos da massa tumoral no câncer de pulmão podem provocar a obstrução dos brônquios resultando em tosse ou pneumonia, o câncer de esôfago pode causar estreitamento do esôfago tornando difícil ou doloroso a ato de engolir e o câncer colorretal pode resultar em um estreitamento ou bloqueio no intestino resultando em mudanças nos hábitos intestinais.

Tumores nas mamas e nos testículos podem facilmente ser apalpadas. A ulceração pode causar uma hemorragia que, se produzida no pulmão, resulta em uma tosse com sangue, no tubo digestivo provocará anemia e sangramento retal, se é na bexiga haverá sangue na urina, e se é no útero pode haver hemorragia vaginal.

Embora a dor localizada possa ocorrer no estágio avançado de um câncer, o inchaço inicial costuma ser indolor.

Alguns tipos de câncer podem causar acumulação de líquido no tórax ou no abdômen.

Sintomas Sistêmicos


Sintomas do câncer
Os sintomas gerais de câncer ocorrem devido a efeitos distantes que não estão relacionados com a propagação direta ou com metástase. Estes podem incluir perda não intencional de peso, febre, cansaço excessivo e alterações na pele.

A doença de Hodgkin, as leucemias e os cânceres de fígado ou de rim podem causar uma febre persistente de origem desconhecida.

Em alguns tipos de câncer podem ocorrer um conjunto específico de sintomas sistêmicos, chamados fenômenos paraneoplásicos.

Por exemplo, quando existe timoma é possível também sofrer de miastenia grave (miastenia gravis) e quando há câncer de pulmão é possível sofrer de hipocratismo digital (acropaquia)

Sintomas de metástase


Os sintomas de metástase são devidos a propagação do câncer a outros lugares do corpo. Estes podem incluir: aumento dos gânglios linfáticos (podem ser apalpados ou ser visto por baixo da pele e geralmente estão duros), hepatomegalia (aumento do fígado) ou esplenomegalia (megalosplenia), um aumento do baço que pode ser sentido apalpando o abdômen, dor ou fratura dos ossos afetados, e sintomas neurológicos. Os sintomas de metástase variam de acordó com a localização dos tumores.

Inicialmente os gânglios linfáticos são os primeiros a ser afetados. Os pulmões, o fígado, o cérebro e os ossos são os lugares mais comuns de metástase de tumores sólidos. Nos gânglios linfáticos, um sintoma comum é linfadenopatia.

Alguns sintomas de metástase de acordo com o tipo de câncer são:

- Câncer de pulmão: tosse, hemoptise (tosse com sangue) e dispneia (falta de ar).
- Fígado: hepatomegalia (aumento do fígado), náuseas e icterícia.
- Ossos: dor nos ossos, fratura dos ossos afetados.
- Cérebro: sintomas neurológicos tais como dor de cabeça, convulsões e vertigem.

Embora o câncer avançado possa causar dor, apriore não é o primeiro sintoma. Alguns pacientes, contudo, não apresentam nenhum sintoma.

O que é um tumor?


Tumor é uma massa de tecido formada pela acumulação de células anormais. Em condições normais, as células do corpo envelhecem, morrem e são substituídas por células novas. Com o câncer e outros tumores, algo interrompe esse ciclo. As células tumorais crescem apesar do corpo não as necessitar e, ao contrário das células normais velhas, não morrem. Conforme este processo continua, o tumor continua crescendo à medida que se adicionam mais e mais células.

A área em torno dos diferentes órgãos do corpo contém pequenas glândulas em forma de feijão (chamadas gânglios linfáticos) que fazem parte do sistema linfático e ajudam a controlar infecções mediante a filtragem do fluido linfático. Eles filtram tudo o que é estranho para o corpo, incluindo bactérias e vírus. Os ganglios linfáticos são com frequencia o primeiro lugar alcançado pelas células cancerosas quando estas se desprendem de um tumor, por isso, os cirurgiões costumam remove-los durante a cirurgia de câncer e os envia a um laboratório, onde um especialista chamado patologista os examina de perto para ver se há presença de células cancerosas.

Remover e comprovar os ganglios linfáticos é parte do estadiamento do câncer. A fase em que se encontra um câncer é importante, já que ajuda os médicos a decidir o tratamento mais adequado.

Tratamento do Câncer


As opções de tratamento para o câncer podem incluir cirurgia, quimioterapia e radioterapia. O tratamento recomendado para cada caso depende de vários fatores como o estágio e grau do câncer, e sua saúde em geral. Um especialista será capaz de oferecer-lhe os prós e contras, a provável taxa de sucesso, possíveis efeitos colaterais do tratamento e outros detalhes sobre as diversas opções de tratamento possíveis para o seu tipo e estágio do câncer.

Também se deve discutir com o especialista os objetivos do tratamento. Em alguns casos, o tratamento pretende curar o câncer. Os médicos tendem a usar a palavra "remissão", em vez da palavra "cura". Remissão significa que não há sinais de câncer após o tratamento. Se você está "em remissão" pode curar-se. No entanto, em alguns casos, o câncer retorna meses ou anos mais tarde. É por isso que os médicos às vezes são relutantes em usar a palavra "curado".

Em alguns casos, o tratamento destina-se a controlar o câncer. Se a cura não é uma realidade, através do tratamento muitas vezes é possível limitar o crescimento ou a propagação do câncer, de modo que progride menos rapidamente. Isto pode diminuir os sintomas durante algum tempo.

Em outros casos, o tratamento visa aliviar os sintomas do câncer. Por exemplo, se o câncer progride, pode exigir tratamentos com analgésicos ou outros medicamentos para ajudar a aliviar a dor ou outros sintomas. Alguns tratamentos podem ser usados para reduzir o tamanho do câncer e aliviar sintomas tais como dor.

Quimioterapia

A quimioterapia é um tratamento de câncer mediante o uso de drogas que matam as células cancerosas ou impedem sua multiplicação. A quimioterapia pode ser administrada após a cirurgia. O objetivo é eliminar células cancerosas remanescentes após a cirurgia.

Às vezes, a quimioterapia é administrada para reduzir o tamanho do câncer antes da cirurgia. Isso pode tornar a cirurgia mais fácil e com maior probabilidade de sucesso.

Radioterapia

A radioterapia é um tratamento que utiliza raios de alta energia que se concentram no tecido canceroso. Isso mata as células cancerosas ou impede que elas se multipliquem. A radioterapia é usada às vezes para cânceres menores em pessoas que não precisam de uma operação, embora isso seja menos comum.

O tratamento do câncer é uma área em desenvolvimento da medicina. Novos tratamentos continuam sendo desenvolvidos e a informação sobre a perspectiva dada anteriormente é muito geral. O especialista que conhece o seu caso pode dar informações mais precisas sobre o seu ponto de vista particular, de como responderá ao tratamento e da fase em que está o câncer.