favicon de sintomasdocancer.comOs 10 sintomas de câncer que podem salvar sua vida

Conteúdo

Versão em espanhol


Neuroblastoma


Neuroblastoma é um câncer que começa nas células nervosas imaturas do sistema nervoso simpático. Estas células são chamadas neuroblastos, ou células da crista neural. O sistema nervoso simpático é responsável por preparar o corpo para entrar em ação e responder a situações em que é necessário força e consciência, como aquelas que causam medo, raiva, emoções ou constrangimento. Às vezes, os neuroblastos se alteram e produzem tumores benignos como o ganglioneuroma. Em alguns casos, as mudanças nos neuroblastos podem causar neuroblastomas.


Pode desenvolver-se em qualquer parte do sistema nervoso simpático, mas na maioria dos casos começa nas glândulas supra renais, pescoço, peito ou medula espinal. O neuroblastoma quase sempre se desenvolve em bebês e crianças pequenas.

Células de neuroblastoma
Células de neuroblastoma
Um neuroblastoma pode ocorrer em qualquer parte ao longo do sistema nervoso periférico, de modo que os sinais e sintomas variam de acordo com localização. Os sintomas mais comuns são causadas pela pressão do tumor sobre os tecidos circundantes a medida que cresce, ou pela propagação do câncer para os ossos. Na maioria dos casos, o neuroblastoma não causa problemas no funcionamento do sistema nervoso periférico.

As crianças com neuroblastoma abdominal podem apresentar os seguintes sinais e sintomas: abdómen inchado, prisão de ventre, aumento da pressão arterial, dificuldade para urinar, náuseas e vómitos, perda de apetite, perda de peso, queixas de plenitude no abdômen (estômago inchado), e inchaço na virilha ou pernas.

As crianças com neuroblastoma no peito podem apresentar os seguintes sintomas: dificuldade para respirar ou falta de ar, dificuldade para engolir e tosse.

As crianças com neuroblastoma no pescoço podem apresentar os seguintes sintomas: nódulos visíveis no pescoço, dificuldade para respirar, dificuldade para engolir, uma mistura de cores na íris do olho (heterocromia) e Síndrome de Horner (raro). A Síndrome de Horner é caracterizada por pálpebras caídas (ptose ipsilateral), pupilas pequenas (miose), e incapacidade de suar no lado afetado da face (anidrose), devido a danos no nervo simpático do olho desse lado da face.

As crianças com neuroblastoma na medula espinhal podem apresentar os seguintes sintomas: fraqueza nas pernas, andar instável, incontinência ou dificuldade para urinar ou defecar, dor e paralisia.

Outros sinais e sintomas de neuroblastoma podem incluir: mal-estar, febre, perda de apetite, perda de peso, fadiga, dor óssea, aumento da pressão arterial, sufocamentos, transpiração excessiva, irritabilidade devido ao aumento da produção de umas hormonas chamadas catecolaminas, olhos de guaxinim (círculos escuros e protuberância ao redor dos olhos devido a que o câncer se dissemina para o osso que circunda as órbitas oculares), protuberâncias azuladas e endurecidas sob a pele, claudicação, irritabilidade devido à propagação do câncer para medula óssea e ossos (Sindrome de Hutchison), anemia, palidez, hematomas, sangramento e infecções frequentes (se o câncer se espalhou para a medula óssea), petéquias, espasmos no olho e movimentos musculares (opsomioclonia), e diarreia grave causada pelo aumento da produção de hormona do polipéptido intestinal vasoativo no intestino.

As células do neuroblastoma são pouco diferenciadas (não se parecem com as células normais) e altamente malignas. No entanto, o neuroblastoma é um dos poucos cânceres que às vezes pode ser resolvido espontaneamente. Isto significa que o tumor torna-se menor ou desaparece completamente sem qualquer tratamento e sem que se desenvolvam novos tumores. Isto ocorre mais freqüentemente em crianças menores de um ano.

Os locais mais comuns onde o neuroblastoma pode se estender são: ganglios linfáticos, medula óssea, ossos (o neuroblastoma é conhecido por sua disseminação para os ossos da órbita do olho, chamados ossos periorbitais), fígado e mais raramente a pele (caracteriza-se por um número variável de protuberâncias azuladas sob a pele), cérebro e pulmões.

A compressão da medula espinal é um problema grave que pode ocorrer devido ao neuroblastoma. Os neuroblastomas que se desenvolvem no tecido do nervoso ao longo da medula espinal podem pressionar ou crescer sobre a medula espinal, causando dor, incontinência, fraqueza muscular e paralisia. É importante diagnosticar e tratar o mais rápido possível porque a compressão da medula espinal pode levar a uma paralisia permanente.

Ganglioneuromas

Um ganglioneuroma é um tumor benigno cujas células são semelhantes as células dos neuroblastoma malignos, porém são mais maduras (bem diferenciadas). Costumam ser inofensivos e não causam quaisquer problemas, nem precisam de qualquer tratamento a menos que eles estejam afetando órgãos ou nervos próximos. As vezes, um neuroblastoma canceroso torna-se um ganglioneuroma por si só ou com tratamento. Não se sabe o que causam os ganglioneuromas nem que fatores de risco aumentam as chances de uma criança desenvolve-lo. Os sinais e sintomas podem ser semelhantes aos de um neuroblastoma e dependerá da localização do tumor.

Ganglioneuroblastoma

Células de neuroblastoma
Células de ganglioneuroblastoma
Os ganglioneuroblastomas são outro tipo de tumor maligno que podem desenvolver-se nas células da crista neural. Estes tumores podem ocorrer nas mesmas partes do corpo que os neuroblastomas. Eles contêm uma mistura de células com diferentes graus de diferenciação (uma certa quantidade de células cancerosas se assemelham a células normais). A agressividade do tumor depende do número de células imaturas e pouco diferenciadas em comparação com o número de células mais maduras e bem diferenciadas. Algumas vezes o termo "neuroblastoma maduro" é usado para descrever os ganglioneuroblastomas que contem menos de 50% de células de ganglioneuroma maduras.